3 dicas importantíssimas sobre alongamento estático

O alongamento estático é muito utilizado como recurso terapêutico pelos fisioterapeutas.

Frequentemente é usado para ganho de flexibilidade, aumento do desempenho muscular, redução de dor e risco de lesões… mas o que dizem as evidências científicas??

Organizamos a resposta para esta pergunta em 3 dicas:

(1) Alongamento estático e flexibilidade


Alongamento estático
Flexibilidade

A manutenção da amplitude de movimento articular possui grande impacto na função e qualidade de vida dos nossos pacientes.

É por isso que o ganho de flexibilidade por meio do alongamento estático é uma demanda constante nos atendimentos fisioterapêuticos.

Felizmente essa aplicabilidade possui forte embasamento científico, como mostraram as revisões sistemáticas com metanálise de Medeiros e cols. (2016) e de Young e cols. (2013).

  • Dica 1: O alongamento estático é uma técnica comprovadamente eficaz para ganho de flexibilidade.

(2) Alongamento estático e dor


Alongamento estático
Dor

Não é incomum sentir dores e até se lesionar após a realização de exercícios físicos.

Nesses casos, o alongamento estático é usualmente empregado para prevenir essas possíveis complicações.

… a única dúvida é em que momento fazer isso!!

Porém, a revisão da Cochrane de Herbert e sua equipe (2011) veio para derrubar essa crença.

Este trabalho mostrou que alongar antes, depois ou antes e depois de um exercício físico não produz redução clinicamente importante da dor pós-exercício.

O mesmo vale para prevenção de lesões, pois não parece haver redução do risco delas quando é feito alongamento prévio à atividade (Small K. et al., 2008).

  • Dica 2: Não adote o alongamento estático como uma técnica para prevenir dor e lesão subsequentes ao exercício físico.

(3) Alongamento estático e desempenho muscular


Alongamento estático
Desempenho muscular

Não só clinicamente, mas no cenário desportivo também, o alongamento estático é bastante utilizado para melhorar a performance física…

… através do aumento do desempenho muscular.

Buscando entender melhor essa relação, Kay e Blazevich (2012) decidiram realizar uma pesquisa científica.

Entretanto, eles encontraram que alongar estaticamente por menos de 60 segundos não tem influência sobre o desempenho muscular

… e acima desse tempo traz prejuízos para este desfecho.

  • Dica 3: Além de não melhorar o desempenho muscular o alongamento estático pode prejudicá-lo.

Conclusão


Devemos alongar estaticamente em casos onde o objetivo seja ganho de flexibilidade e devemos ter cuidado com o seu tempo de duração, que não deve ultrapassar 60 segundos.

No mais, tudo indica que os seus outros usos são perda de tempo e fisioterapeutas de alta performance não têm tempo para isso!!

Gostou???!! Compartilha nas suas redes sociais!

Grande abraço!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by Copyscape